A "Princesa das Matas"

 

        Tão férteis e produtivas eram suas terras que o primeiro governador de Alagoas, o coronel Pedro Paulino da Fonseca, decidiu trocar o nome de Vila da Assembléia para Viçosa, em 1890. No governo de Gabino Besouro, em 1892, foi transformada em cidade. Berço de intelectuais e terra do folclore, gerou a chamada Escola de Viçosa, grupo de estudiosos que se dedicava a pesquisar a cultura popular. Antes era chamada de Riacho do Meio, e depois de Vila Nova da Assembléia. Tornou-se conhecida, também, por "ATenas Alagoana" e "Princesa das Matas".

        Foram localizados na região - em povoados como Bananal e sítios adjacentes - muitos vestígios dos quilombos. Há quem assegure que Zumbi morreu lá e não em União dos Palmares. Depois dos negros derrotados, o Rei de Portugal dividiu os domínios entre os vencedores.

      Em 1831, por decreto imperial, a povoação com nome de Riacho do Meio foi desligada de Atalaia e elevada à categoria de Vila. No governo de Gabino Bezouro, em 1892, a Vila foi elevada à condição de cidade. A vida política de Viçosa teve muitas lutas partidárias, caracterizando a época de predominância do coronelismo. No aspecto cultaral, porém, Viçosa é berço de destacados escritores e intelectuais de Alagoas, como Otávio Brandão, além de um importante núcleo de folclore.

      Com essa tradição cultural, Viçosa destaca-se, principalmente, por suas festividades: Carnaval, Festas Juninas, Festa do Padroeiro Senhor do Bom Jesus do Bomfim(entre os meses de janeiro e fevereiro), Cavalhadas e Vaquejadas. Entre as belezas naturais está a Serra Dois Irmãos, local onde historiadores supõem que teria vivido Zumbi em seus últimos anos, até a morte. Viçosa tem ainda atração esporádica(não a dia nem mês estabelecidos) o trem de Viçosa, onde filhos da terra viajaram juntos até o município e fazem um grande encontro.

História

Clima        Quente sub-úmido

Área                     355 Km²

Gentílico                Viçosense

 

 

Folclore

 

        Viçosa estã associada ao universo mágico do folclore, expressão da alma da cidade. São vários os folguedos lá cultivados por sua gente: Baiana, Guerreiro, Pastoril, Reisado, Cavalhada, Coco Alagoano, Quadrilha e Vaquejada.

Patrimônio

Ecológico: A serra dos Doir Irmãos, ideal para a prática do ecoturismo, lugar onde Zumbi dos Palmares viveu escondido nos últimos anos de sua vida; cachoeria dos Dois Irmãos, Pindobinha, riachos Limoeiro, Porangaba, Sambalangá, Anelzinho, Veados, Gurungumbae; Riacho do Meio; Açude Bananal; Lagoa Brandão; serras Monteiro, Bananal, Alto da Balança, Alto do Gereba, Caçamba, Riachão, Alto do Cento e Vinte. 

 

Histórico: Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus do Bomfim.

1695
1790
1831
1839
1896
1899
1904
1906
09.png
1911
1914
1917
1927
1932
1972
1981
1983
1992
2008
1896